Documentário sobre a pintora Paula Rego estreia em Abril em Portugal

4 JANEIRO, 2017 -

O documentário “Paula Rego. Secrets and Stories“, realizado por Nick Willing, vai estrear-se em abril, em Portugal, após a estreia mundial no Reino Unido, pela BBC, a 25 de março, revelou hoje fonte do museu Casa das Histórias.

Contactada pela agência Lusa, Catarina Alfaro, coordenadora da programação e conservação da Casa das Histórias Paula Rego, em Cascais, indicou que o filme irá estrear-se em Portugal em abril e nesse mês será apresentada a exposição “Paula Rego. Histórias e Segredos“.

Paula Rego. Secrets and Stories“, criado pelo realizador Nick Willing, filho de Paula Rego e de Victor Willing, falecido em 1988, ainda sem data e local de estreia em Portugal, reúne imagens antigas e recentes de Paula Rego.

De acordo com Catarina Alfaro, no contexto da exibição do filme, é inaugurada a 20 de abril a exposição “Paula Rego. Histórias e Segredos“, na Casa das Histórias, com curadoria conjunta de Nick Willing.

Vamos pedir obras significativas da pintora a museus nacionais e internacionais para integrarem essa exposição, que também irá revelar muitas obras da coleção de Paula Rego que nunca foram vistas pelo público“, indicou a curadora à agência Lusa.

Catarina Alfaro já viu várias vezes o documentário sobre Paula Rego: “É uma longa conversa entre Paula e Nick Willing, que lhe vai colocando várias perguntas. Através deste filme, consegui perceber melhor vários aspetos da vida e da obra da pintora“, comentou.

A exposição – que irá ocupar todo o espaço do museu Casa das Histórias – terá um forte cariz biográfico, mostrando, além da pintura, relatórios que Paula Rego escreveu quando era bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian, em Londres, elementos do seu ateliê naquela cidade, onde continua a pintar, e uma série de objetos pessoais.

Na exposição será introduzida “a matéria base do trabalho de Paula Rego: a espacialização da memória e das suas referências pessoais“.

No final de 2015, Nick Willing esteve em Lisboa para representar a mãe na conferência internacional dedicada ao estudo do imaginário de Paula Rego, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Na altura, falou à Lusa sobre o projeto do filme, que tinha começado há um ano, descobrindo “muitos segredos” durante as entrevistas que fez à mãe, uma “artista gigante“, cujas memórias “difíceis e fascinantes” pretendia colocar na película.

A minha mãe teve sempre muitos segredos e era bastante fechada. Mas agora tem 80 anos e não se importa com o que pensem dela. Sente-se mais livre para falar“, disse o realizador, em português, acrescentando que muitos dos segredos são “chocantes e perigosos“.

Nick Willing, 55 anos, realizou, entre outros, os filmes “O Caçador de Segredos” (1997) e “Alice” (2009), e também séries como “Olympus” (2015).

Quanto à restante programação para 2017 da Casa das Histórias, de acordo com Catarina Alfaro, a 12 de outubro irá abrir ao público “Pra Lá e Pra Cá“, com os desenhos e os figurinos das personagens que faziam parte deste bailado com o mesmo nome, realizados pela artista, a convite da Fundação Calouste Gulbenkian, em 1998.

Nessa exposição, serão também apresentadas as fotografias que documentam o seu processo criativo, bem como os bastidores e ensaios de “Pra Cá e Pra Lá“, criado com a coreografia de Stijn Celis.

O bailado relaciona-se diretamente com o trabalho gráfico de Paula Rego sobre as “Nursery Rhymes” (cantigas infantis) inglesas, publicado em 1989 e, em particular, com a obra “Who Killed Cock Robin?“.

Este ano, em que a Casa das Histórias cumpre oito de existência, também será realizada a segunda edição do Prémio Paula Rego, que visa incentivar os estudantes de Belas-Artes, expondo e premiando o seu talento, para contar uma história através do desenho.

O prémio consiste na realização de um concurso, uma exposição e edição de um catálogo, para revelar os jovens estudantes no universo artístico contemporâneo.

Texto de Lusa

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Tivemos a oportunidade de assistir a Fuocoammare

O realizador Michael Moore apresenta Portugal como um exemplo a seguir pelos EU

Pode ler-se, na edição online do Expresso:

John Peter Berger faleceu hoje aos 90 anos. O crítico de arte, romancista, pintor