De que falam os 5 documentários nomeados para os Óscares?

20 FEVEREIRO, 2017 -

A entrega dos prémios da 89ª edição dos Óscares, apresentada este ano por Jimmy Kimmel, ocorre a 27 de Fevereiro no Dolby Theatre, em Los Angeles.

A categoria de melhor documentário dos Óscares tem dado que falar. Entre os cinco filmes nomeados, três deles abordam a temática racial nos Estados Unidos da América. O ano 2016 foi um ano de tensões constantes para a comunidade afro-americana, o que acabou por se refletir na tela. 

I Am Not Your Negro, inspirado no livro incompleto Remember This House de James Baldwin, um dos maiores ativistas e defensores pelos direitos da comunidade afro-americana, está na corrida para o Óscar de melhor documentário. O filme, dirigido por Raoul Peck e narrado por Samuel L.Jackson, explora a história do racismo nos Estados Unidos da América, através do pensamento de Baldwin, fazendo referência aos assassinatos de Malcolm X, Martin Luther King e Medgar Evers. “Este é um dos melhores filmes que provavelmente vão ver em 2017”, afirma Manhola Dargis do The New York Times.

13th, da diretora negra Ava DuVernay, é inspirado na décima terceira alteração à Constituição dos Estados Unidos, que aboliu a escravatura em 1865. O documentário descreve as relações históricas construídas entre o sistema escravista dos Estados Unidos e o sistema penal do país. “Com material de arquivo e entrevistas, DuVernay oferece uma análise inteligente do legado da escravatura”, revela à Euronews.

O.J.: Made in America, de Ezra Edelman, foca a sua ação no julgamento de O.J. Simpson em 1994, quando foi acusado de assassinar a sua mulher, Nicole Simpson, e o amigo dela, Ronald Goldman. O documentário, dividido em episódios, utiliza entrevistas, fotografias e arquivos de vídeo e audio, trazendo para o espetador a realidade vivida em torno deste caso. As críticas não pararam de surgir assim que o filme chegou às salas de cinema. O site Rotten Tomatoes atribuiu uma classificação de 9.2/10 baseada em 42 apreciações.

Fire in Sea é o documentário de Gianfranco Rosi que venceu o Urso de Ouro no Festival de Berlim de 2016 e que captou as vidas dos refugiados na ilha de Lampedusa. Este local tem sido talvez o local de passagem que mais refugiados alberga, refugiados esses que escapam do Médio Oriente, procurando melhores condições de vida no coração do Velho Continente. Desde 1998 que Lampedusa tem sido comparada a uma porta de entrada de imigrantes na Europa.

Life, Animated, filme dirigido por Roger Ross Williams, está também na corrida ao Óscar de melhor documentário. Baseado no livro do jornalista Ron Suskind Life, Animated: A Story of Sidekicks, Heroes, and Autism, conta a história do seu filho Owen Suskind que sofre de autismo, e que, para lidar com as adversidades da doença, aprende a comunicar com o mundo através do seu fascínio pelos filmes da Disney. O documentário foi bem recebido pelo público, arrecadando inúmeros prémios, incluindo o de melhor documentário pela National Board of Review. Wendy Ide, do The Guardian, diz que a forma de como os desenhos animados chegam até à criança (Owen Suskind) é “reconfortante” e “perspicaz”.

Artigo de: Liliana Pedro

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

A 89ª edição dos Óscares decorreu esta noite e atribuiu 24 galardões distinto

O romance 'The underground railroad', de Colson Whiteh

Desde 2013, ano de lançamento das primeiras faixas via Soundcloud

O filme