Criada ‘film comission’ para atrair produções internacionais de cinema para a região Centro

12 MAIO, 2016 -

Os membros da Centro Portugal Film Comission (CPFC), sediada em Óbidos, distrito de Leiria, tomaram posse no sábado e dão agora início a um trabalho que pretende atrair produções internacionais para esta região do país.

A região Centro “tem um potencial endógeno mais do que suficiente para se poder promover no estrangeiro e atrair grandes produções internacionais“, disse à agência Lusa o presidente da CPFC, José Mineiro.

A associação constituída por pessoas ligadas à indústria, “às universidades, festivais e entusiastas do cinema“, quer não só trazer produções mas também ter “um papel de dinamizador a nível nacional“, pondo estudantes e técnicos “em contacto com grandes produções“, bem como “um papel formativo“.

A primeira ação desta ‘film comission‘ será um levantamento do potencial regional, através de registo fotográfico, onde também será introduzida a técnica de imersão a 360 graus, explanou José Mineiro.

Ao final de um ano, já será possível “ter uma oferta bastante decente“, sublinhou, acrescentando que essa ação irá continuar: “É um trabalho que nunca acaba”.

Há espaços que para o presidente da CPFC “são incontornáveis“, como a Serra da Estrela, “algumas lagoas, vales de rios, barragens, centros históricos“, “toda a costa, com as suas arribas e praias“, as aldeias de xisto e aldeias raianas, para além dos quatro monumentos classificados como Património Mundial na região Centro – Mosteiro de Alcobaça, Mosteiro da Batalha, Convento de Cristo e Universidade de Coimbra.

A variedade é imensa. É uma região que consegue oferecer praticamente tudo“, sublinhou, recordando a frase utilizada pela Turismo Centro: “Um país dentro de um país“.

A associação conta com o apoio da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Centro e da Turismo Centro, perspetivando-se uma candidatura a fundos comunitários.

José Mineiro realçou ainda que a realização de grandes produções na região Centro não ajudariam apenas a economia ligada ao cinema, mas também o fluxo de turismo que os próprios filmes potenciam.

Na direção da CPFC estão profissionais das áreas do cinema, teatro, artes, comunicação, marketing, ensino e investigação.

Texto de Lusa
Fotografia de Sérgio Guerreiro

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Não será arriscado afirmar que o cinema português foi, até à década de 50, um dos mais fortes

Dia 15 de maio 

Tal como nas edições anteriores, o leitor passa a ter acesso a informação técnica e artística

O filme "Os gatos não têm vertigens", de António-Pe