Conto de fadas de Guillermo del Toro conquista o Leão de Ouro em Veneza

10 SETEMBRO, 2017 -

Assinando a realização do filme “The Shape of Water”, o cineasta é o primeiro mexicano a vencer o prémio principal do mais antigo festival de cinema do mundo.

Guillermo del Toro é o primeiro mexicano a vencer o Leão de Ouro, prémio máximo do Festival Internacional de Cinema de Veneza, com o filme “The Shape of Water”. Escolhido entre os 21 candidatos, este sábado, 9 de setembro, o júri do evento, presidido pela atriz Annette Bening, anunciou que o filme norte-americano era o grande vencedor.

Visivelmente emocionado ao receber o prémio, Guillermo del Toro, de 52 anos, destacou o facto de se tratar do primeiro Leão de Ouro atribuído a um mexicano e que, por isso, o dedicava “a cada jovem realizador latino-americano que sonha fazer algo no género fantástico, como um conto de fadas“.

Com elementos de fantasia e de ficção científica, a ação deste thriller desenrola-se nos anos 60, no período da Guerra Fria, e conta a história de amor entre uma solitária empregada de limpeza num laboratório de segurança máxima, Elisa (Sally Hawkins), e um ser anfíbio escondido dos russos pelos americanos.

Elisa e uma colega, Zelda (Octavia Spencer), descobrem uma expriência com monstros que o governo norte-americano quer manter secreta. O filme, que ainda está a correr a rota dos festivais, estreia nos cinemas portugueses a 1 de fevereiro de 2018.

O prémio de Melhor Atriz foi para a britânica Charlotte Rampling, pelo papel em “Hannah”, e o de Melhor Ator foi atribuído a Kamel El Basha, pela participação no filme libanês “L’Insulte”. A 74.ª edição do Festival de Veneza entregou ainda Leões de Ouro a Jane Fonda e Robert Redford, como forma de homenagear as suas carreiras. Conheça a lista completa dos premiados no site do evento.

Eis o palmarés oficial da 74ª edição do Festival:

Leão de Ouro: “The Shape of Water” de Guillermo Del Toro (EUA)
Leão de Prata – Grande Prémio do Júri: “Foxtrot” de Samuel Maoz (Israel/Alemanha/França/Suiça)
Leão de Prata para a melhor realização: “Jusqu’à la Garde” de Xavier Legrand (França)
Taça Volpi para a melhor interpretação feminina: Charlotte Rampling em “Hannah” (Itália/Bélgica/França)
Taça Volpi para a melhor interpretação masculina: Kamel El Basha em “L’Insulte” (Líbano/França)
Melhor argumento: Martin McDonagh por “Three Billboards Outside Ebbing, Missouri” (EUA/Reino Unido)
Prémio Especial do Júri: “Sweet Country” de Warwick Thornton (Austrália)
Prémio Marcello Mastroianni para um jovem ator ou atriz emergente: Charlie Plummer em “Lean on Pete” de Andrew Haigh (Reino Unido)
Leão do Futuro – Venezia opera prima Luigi De Laurentiis: “Jusqu’à la Garde” de Xavier Legrand (França)

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Os canais vão estar perto do céu, com as estrelas a trazer brilho extra a um dos cenário

Wtf Mr. Aronofsky! Foi essa exclamação que me assaltou no final do muito aguardado M

Everything is art, everything is politics. Assim se chamava uma das derradeiras mega expos

São Jorge, que deu o prémio de Melhor Actor a