Começa hoje, em Lisboa, o Festival de Cinema Argentino

29 JUNHO, 2016 -

O filme ‘Paulina’, segunda longa-metragem do realizador Santiago Mitre, abre hoje o segundo Festival de Cinema Argentino (AR), no cinema São Jorge, em Lisboa.

O festival traça um panorama da mais recente cinematografia argentina, com dez longas-metragens, inéditas em sala em Portugal, e quatro curtas-metragens. A abertura dá-se com o ‘thriller’ ‘Paulina’, premiado este ano em Cannes e em San Sebastian.

Até 3 de julho, a organização destaca ainda outros filmes, nos quais se destacam desempenhos femininos, como ‘Paula’, de Eugénio Canevari, e ‘La mujer de los perros’, de Verónica Llinás e Laura Citarella. São “retratos precisos e desafiadores que caminham por entre dilemas éticos, mandatos sociais e marginalidade”, lê-se na programação.

Entre as longas-metragens selecionadas há dois documentários: ‘Cuerpo de letra’, de Julián D’Angiolillo, sobre os que se dedicam a escrever palavras de ordem e a pintar murais de campanhas eleitorais, e ‘327 Cuadernos’, de Andrés di Tella, sobre o escritor Ricardo Piglia, a partir dos diários do autor.

Este festival é uma das faces visíveis da associação luso-argentina VaiVem, apostada nos últimos anos em criar pontes entre Portugal e a Argentina através do cinema e das artes audiovisuais.

Além do festival AR, a associação, que opera também no Brasil e noutros países da América do Sul, já organizou a ‘Semana de Cine Português’, no Museu de Arte Latino-Americano de Buenos Aires, e ajudou à distribuição de filmes independentes e fora do circuito comercial.

Texto Lusa

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

O Festival de Cinema Argentino, dedicado ao novo cinema argentino,