‘Com Vergílio Ferreira aprendemos a pensar’

28 JANEIRO, 2017 -

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, assinalou hoje o centenário do escritor Vergílio Ferreira, considerando que é “o grande escritor de ideias” português e que sobreviveu ao seu tempo.

“Enquanto Presidente da República não posso deixar de destacar que com Vergílio Ferreira aprendemos a pensar”, afirma Marcelo Rebelo de Sousa, numa nota divulgada na página da Presidência da República na Internet.

As comemorações do centenário do nascimento de Vergílio Ferreira, promovidas pelo município de Gouveia – às quais Marcelo Rebelo de Sousa se associou, a meio de agosto – terminam no sábado, dia do seu nascimento.

O autor de “Manhã Submersa” nasceu na aldeia de Melo, no concelho de Gouveia, na Serra da Estrela, no dia 28 de janeiro de 1916, e morreu em 01 de março de 1996, em Lisboa.

Na nota hoje divulgada, o Presidente da República escreve que Vergílio Ferreira “não foi o único, nem o último, escritor de ideias português”, mas “é um daqueles raros romancistas nos quais a ficção acompanha o pensamento”.

“Sabemos que essa não tem sido a tradição dominante em Portugal. Somos, as mais das vezes, um povo do sentimento, subjetivo ou coletivo. Vergílio Ferreira escolheu outro caminho, e tornou-se o nosso grande escritor de ideias”, considera.

O chefe de Estado acrescenta que Vergílio Ferreira sobreviveu às “correntes intelectuais do seu tempo”, com as quais é identificado: “E continuamos a lê-lo hoje, por causa do modo profundo e intenso como estudou a fé, o empenhamento, a responsabilidade, o casal, a velhice, inquietações de todos os tempos que são o fundamento da literatura”.

O Presidente da República esteve na terra natal de Vergílio Ferreira no dia 10 de agosto, no âmbito das comemorações do centenário do seu nascimento.

Nessa ocasião, sugeriu que a “Vila Josefina”, a casa onde Vergílio Ferreira costumava ficar na aldeia de Melo, fosse transformada num centro de cultura dedicado ao escritor.

“Olho para a Vila Josefina e estou a imaginá-la como um centro de cultura aberta a tantos e tantas que aqui venham”, declarou.

Marcelo Rebelo de Sousa mostrou-se confiante que “a família um dia chegará a um acordo com a Câmara Municipal” e que isso acontecerá durante o seu mandato: “Nos próximos quatro anos e meio, para inaugurar aquele centro de cultura Vergílio Ferreira”.

Texto de Lusa

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Presidente desejou “boa sorte para a Web Summit” a vários jovens empresários

Marcelo Rebelo de Sousa disse que seria “prematuro” mostrar qual a sua posição sobre a eutan

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai marcar presença na se

Presidente entregou ao ensaísta o Prémio Vasco Graça Moura - Cidadania Cultural