Coleção de arte privada de David Bowie vendida por 36,5 milhões

12 NOVEMBRO, 2016 -

A coleção privada de pinturas e esculturas do músico britânico David Bowie, que morreu em janeiro, foi vendida por um total de 31,5 milhões de libras (36,5 milhões de euros) num leilão da Sotheby’s de Londres.

O leilão, realizado durante dois dias e concluído na tarde de sexta-feira, incluía 356 obras de arte que pertenceram a David Bowie.

A obra mais cara — ‘Air Power’ — quadro do artista norte-americano Jean-Michel Basquiat, foi vendida por 7,1 milhões de libras (8,1 milhões de euros), na quinta-feira.

img_4791

Bowie comprou esta pintura, que mostra rostos agressivos sobre um fundo em vermelho intenso e diferentes tons de castanho, um ano depois de protagonizar o filme ‘Basquiat’ (1996), no qual interpretou o artista da pop art Andy Warhol.

O quadro de Basquiat — que morreu de overdose em 1988, aos 27 anos — foi um dos 47 objetos de arte da coleção de David Bowie leiloados na quinta-feira pela leiloeira internacional Sotheby’s. A maioria das peças leiloadas na quinta-feira eram obras de arte moderna de autores britânicos, vendidas por um total de 24,3 milhões de libras (27,9 milhões de euros).

No leilão de dois dias, outra pintura de Basquiat – ‘Untitle’ – atingiu o dobro do valor estimado, sendo vendida por 2,3 milhões de libras (2,7 milhões de euros).

Outra obra destacada foi ‘Head of Gerda Boehm’, um retrato do britânico Frank Auerbach, vendido por 3,7 milhões de libras (4,3 milhões de euros).

Também foram arrematadas ‘Witmess’ e ‘Trevalgan’ de Peter Lanyon, por 797.000 libras (907.863 euros) e 305.000 libras (347.426 euros), respetivamente.

Entre as esculturas da coleção leiloadas destaca-se ‘Family Group’, um trabalho de Henry Moore, que foi leiloado por 581.000 libras (661.817 euros) e ‘Large Idol’, do artista escocês William Turnbull, vendido por 317.000 libras (361.095 euros).

Antes da licitação, as obras estiveram expostas durante dez dias na Sotheby’s em Londres, sob o nome ‘Bowie Collector’.

Como parte dessa exposição, a 04 de novembro, a galeria esteve aberta durante toda a noite para conferências, visitas guiadas à coleção e exibição de um documentário.

Uma pequena parte da coleção do músico — cerca de 30 peças — já tinha sido exibida em julho e agosto em Londres, em Los Angeles e Nova Iorque em setembro, e em Hong Kong em outubro.

Durante a sua longa carreira, David Bowie mostrou um grande interesse pela arte, o qual transmitiu ao público através da música, vídeos, maquilhagem, entre outros, e também através da pintura e desenhos, que chegou a exibir em várias galerias durante os anos 90.

David Bowie morreu a 10 de janeiro, em Nova Iorque, vítima de cancro, dois dias após lançar o seu derradeiro álbum, ‘Blackstar’, gravado quando já se encontrava doente.

Texto de Lusa

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS