Ciclo de Cinema de Wim Wenders no Teatro Académico de Gil Vicente

17 JANEIRO, 2017 -

Aproveitando o facto de as primeiras obras de Wim Wenders terem sido restauradas, o Teatro Académico de Gil Vicente (TAGV) recebe um ciclo dedicado à primeira fase da carreira do realizador alemão (até 1987), que se estende até abril, onde será possível rever algumas das suas obras mais marcantes, como “Paris, Texas”, “As Asas do Desejo” ou “A Angústia do Guarda Redes Antes do Penalty”, disse à agência Lusa António Costa, da programação da distribuidora Leopardo Filmes.

Os filmes de Wim Wenders serão também exibidos no Espaço Nimas, em Lisboa, no Teatro Campo Alegre, no Porto, no Theatro Circo, em Braga, e no Charlot, em Setúbal, informou a distribuidora.

Na seleção, há filmes que possivelmente nunca mais passaram por Portugal desde a sua estreia, sendo uma oportunidade para as “gerações mais antigas” reverem a obra de Wim Wenders, ao mesmo tempo que será um primeiro olhar para a maioria dos mais jovens, “que nunca tiveram oportunidade de ver esses filmes e que são marcas do cinema mundial”, sublinhou.

Segundo António Costa, esta primeira fase tem “filmes muito diferentes”, mas onde se nota um “processo de busca de identidade” por parte das personagens, uma “certa dificuldade na comunicação entre as pessoas” – característica também presente num dos cineastas com quem Wim Wenders tinha “muitas afinidades”, Michelangelo Antonioni -, ao mesmo tempo que se regista nos filmes “uma certa facilidade de encontros entre estranhos”.

Há depois também a música, numa ligação “muito forte” ao cinema de Wenders, encontrando-se músicos como Nick Cave ou Lou Reed nos filmes do realizador que mais tarde viria a abordar o blues em “Soul of a Man” e a música cubana em “Buena Vista Social Club”.

O ciclo em Coimbra arrancou na segunda-feira com a estreia da sua mais recente obra, “Os Belos Dias de Aranjuez”, em que o cineasta alemão “retoma uma colaboração antiga de várias décadas” com o escritor Peter Handke, que surge também na iniciativa com a exibição do seu filme “A Mulher Canhota”, a 30 de janeiro, às 18:30 – trabalho produzido por Wim Wenders.

Nesse mesmo dia, é resgatado “O Estado das Coisas”, de 1982, rodado parcialmente em Portugal, película que também está em exibição no Porto até dia 25 e em Lisboa de 19 a 25.

O filme “As Asas do Desejo”, que segue dois anjos em Berlim Ocidental, onde um deles, “para aceder ao amor, ambiciona tornar-se humano”, também estará presente nas diferentes salas com exibição a partir de 26 de janeiro em Lisboa e no Porto e a 27 de fevereiro em Coimbra.

Também já com calendário definido, está a exibição em Coimbra e em Lisboa de “Paris, Texas”, considerado “por muitos críticos o apogeu de Wenders”, que lhe valeu a Palma de Ouro no festival de Cannes em 1984.

No TAGV será exibido a 27 de fevereiro e no Espaço Nimas a partir do dia 16 desse mês.

Na iniciativa da Leopardo Filmes, serão ainda exibidos nas cinco cidades os filmes “Alice nas Cidades”, “O Amigo Americano”, “A Angústia do Guarda Redes Antes do Penalty” (o segundo longa metragem do realizador), “Movimento em Falso” e “Ao Correr do Tempo”, cujas datas ainda não estão definidas.

O calendário das exibições dos filmes de Wenders para Braga e Setúbal está por anunciar.

Texto de: Lusa

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS