Jaime Milheiro, psiquiatra e psicanalista, é considerado uma das vozes mais importantes da psicanálise em Portugal, pelo seu contributo ao longo de várias décadas, quer em termos clínicos, quer em termos académicos. O seu novo livro tem como título “Partículas Comensais”, da Cordão

Simone Weil foi, sem dúvida, uma das personalidades mais marcantes do século XX, descrita inclusive por Camus como “o único grande espírito do nosso tempo”. Professora de Filosofia de profissão, foi sobretudo como activista política e humanista que se destacou, juntando a isso a peculiarid

Celebraria, hoje, 80 anos um dos maiores escritores da contracultura americana, célebre por ser o pai de um movimento literário chamado “Jornalismo Gonzo”, dono de um espírito de aventura alucinante, do mais puro que pode correr nas veias do ser humano. Hunter S. Thompson foi um dos escritore

Meio século depois, a Tinta-da-China recupera uma das obras de culto da poesia contemporânea portuguesa. “Poemas Quotidianos”, do poeta e cineasta António Reis, faz regressar ao nosso convívio uma voz que precisou de apenas cem breves poemas para falar a essa altura em que todos podem ouvi-l

O plano que orienta a construção deste livro é, ao mesmo tempo, ambicioso e intimidante. Estender o arco temporal e o conteúdo das rubricas de forma a ir de Santo Agostinho a J. D. Salinger significa que, ao eclectismo, se alia o arrojo. Porque aquele percurso nas eras e nas fronteiras inclui, p

Qualquer altura do ano é sempre boa para a leitura, embora o Verão traga consigo mais tempo livre dedicado a esta tão proveitosa prática. De acordo com o Dicionário dos Símbolos, de Jean Chevalier e Alain Cheerbrant  (editado pela teorema), a sucessão das estações, assim como das fases da

Eduardo Lourenço surge como um dos pensadores coevos mais notáveis e reconhecidos em palco académico e no recinto da literatura. Na senda dos filósofos ocidentais, construiu e sedimentou, nos seus préstimos, toda a sua hierarquia pensativa, gerando conceitos e interligando-os numa única e cél

Guerra Junqueiro foi uma das personalidades mais importantes da literatura portuguesa do século XIX, e do próprio século XX. Figura com grande dinamismo na crítica social e política, foi, como muitos escritores lusos, licenciado em Direito na Universidade de Coimbra, revelando-se esta como um f

Há pior inferno do que o aberto pela primeira frase de “Canção Doce” (Alfaguara)? Leila Slimani (Rabat; 1981) enfrenta o pior pesadelo de um pai ou de uma mãe: a morte dos filhos. Depois de narrar as desventuras de Adèle, uma mulher sexualmente compulsiva, em “Dans le Jard

Na sua segunda edição, o prémio da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa distinguiu um livro que trata com os pés o português. A União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA) diz-se surpresa por, logo na sua primeira edição, em 2016, o seu prémio literário “Novos T