Chegara o dia temido por muitos: 20 de agosto. Com ele terminaria a mais recente edição do festival Vodafone Paredes de Coura. Se por um lado eram bastantes as pessoas desanimadas com o regresso à ‘vida real’, tantas ou mais eram as que se roíam em nervosismo, numa espera de semanas,

Vencedor do prémio Un Certain Regard no Festival de Cannes, chega esta semana aos cinemas portugueses, pela mão da Medeia Filmes, Carneiros (ou Rams), a segunda longa-metragem do realizador Grimur Hakonarson. Carneiros leva-nos até à localidade isolada de Burdardalur, na Islândia. No vale de

A terceira noite do Vodafone Paredes de Coura começou cedo com os First Breath after Coma no palco secundário. A banda de Leiria contou com a presença de Noiserv, que colaborou no último (e impressionante) trabalho da banda, Drifter. Também com trabalho novo, Sean Riley and the Slowriders subir

Com ante-estreia marcada para esta quarta-feira, Cartas da Guerra, de Ivo M. Ferreira chega aos cinemas dia 1 de Setembro (mais cedo este ano, o filme foi também exibido no Indielisboa) distribuído pel’O Som e a Fúria. A adaptação por parte do realizador da correspondência que o então a

Nomeado ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2015, ‘Timbuktu’ de Abderrahmane Sissako é figura habitual e proeminente nas listas de melhores filmes deste ano, é tão actual ao ponto de ser facilmente confundível com um documentário, como de resto nos parece ser o objectivo. É ficção,

O cinema de Švankmajer enriquece o real, numa ligação que André Breton, ilustre surrealista francês, poderia descrever com a própria explicação do surrealismo, como “um fio condutor entre os dois mundos distintos do acordado e do adormecido, interior e exterior, razão e loucura”. A film

O segundo dia do Vodafone Paredes de Coura arrancou com a atuação do músico americano Ryley Walker, do Illinois. Este músico, ainda antes de marcar presença no palco Vodafone, foi um dos artistas escolhidos para participar nas sessões secretas do festival: festivaleiros escolhidos ao acaso no

Chegou no dia 17 o momento mais esperado pelos festivaleiros de todo o país: arrancou a todo o gás o Vodafone Paredes de Coura e com ele chegaram algumas das bandas mais esperadas do ano. Com apenas o palco principal a funcionar, coube a We Trust cortar a fita e abrir as festividades no festival [

Nicolas Winding Refn é um realizador obcecado com o perfeccionismo de uma estética e estilo provocantes que são já de cunho próprio e inconfundível. A esses aspectos se junta invariavelmente uma banda sonora (a cargo de Cliff Martínez, um habitué junto do realizador) que quase se faz sentir

Este ano são muitos os festivais de verão que têm sofrido do “síndrome Coachella”. A música passa para segundo plano e os certames que deviam ser de música tornam-se em autênticos eventos sociais. Muitos deles alimentados pelos media de grande dimensão, onde o enfoque é, na sua maioria,