Bate um coração na minha rua. Bem, não é exactamente a minha rua, mas não moro longe, e poderia ser a minha – tal como poderia ser a tua. Tão pouco se trata de um coração literal. Mas que bate, bate. A cave direita do nº4 da travessa José Maria Vieira, na Amora, concelho do […]

Tudo promete nesta “Noite da Iguana” no Teatro Nacional São João (TNSJ) no Porto – um elenco de prestígio, uma co-produção de uma das melhores companhias de Portugal, Os Artistas Unidos, a dramaturgia de Tennessee Williams (conhecido no teatro e cinema por textos como “Um eléctrico

Michelangelo foi um dos mais incríveis artistas e um génio do Renascentismo, célebre pela sua contribuição generosa para a história da arte ocidental. Aquilo que nos leva a este grande artista não se fica só pela sua obra: fica, essencialmente, pela forma de como ele se expressou a si mesmo,

Eddie Izzard, um dos mais famosos e mais respeitados comediantes do mundo, apresenta-se em Portugal pela primeira vez, com “Force Majeure”, pela mão da H2N Phenomena Makers. “Force Majeure” é a maior digressão mundial de comédia de sempre do ator e humorista britânico, e tem-se revelad

Boris Vian fez de tudo um pouco: escreveu (com um pseudónimo e sem ele), cantou, representou, tocou, concebeu, criou, criticou. Em suma, foi a aceção plena e concretizada daquilo que é um artista multifacetado. A arte consagrou-se neste gaulês de uma forma completa e robusta e conheceu uma harm

Este artigo não é um roteiro da exposição “A Time Coloured Space” de Philippe Parreno, não procura dar-lhe respostas, tampouco explicará o conceito por trás de cada peça que está nas treze salas da Fundação de Serralves. Este artigo fala sobre sensações. A escuridão criada pelos

Vai inaugurar no Centro Ciência Viva do Lousal, concelho de Grândola, a exposição inédita “Posters com Ciência”, onde o artista digital Edgar Ascensão reinterpreta cartazes de cinema de filmes ligados à ciência. “Posters com Ciência” é uma exposição que resulta da parceria do Ce

A questão da utilidade da arte é recorrente. Encontro-me bastante longe de Portugal, numa das cidades mais isoladas do mundo considerado ocidental, e de menor densidade populacional. Traduzindo, é distante de tudo e todos, e os que por aqui vivem também se encontram dispersos uns dos outros. Nã

A partir de textos de Herberto Helder, “A Máquina de Emaranhar Paisagens”, estreada no passado mês de Outubro de 2016 no Teatro do Bairro Alto (ex-Cornucópia), continua a sua digressão e segue agora para o Teatro Carlos Alberto. Quase dois anos depois da morte daquele que, num país de poeta

«As aves voam sobre nós, os céus são casas de liberdade e o Porto é absolutamente único e arrepiante. Num mundo digital faz sentido voltar ao real, ao físico, ao palpável e ao humano.» São estes os motes da exposição fotográfica “Sê em céu azul, Porto” que vai estar patente nas Ga