É discutível até que ponto a Rússia alguma vez conseguirá regressar ao seu período literário áureo, presente desde a segunda metade do séc. XIX ao início do séc. XX, e embarcando nomes como Dostoiévski, Tólstoi ou Tchékhov. Nos dias de hoje o grande nome, unânime nos círculos dos cr

Existe uma narrativa recorrentemente propagada pela sociedade portuguesa de que, neste país, antigo império colonialista, não existe racismo. Segundo este mito, esta é inclusive uma das razões pelas quais a extrema direita tem pouca expressão em Portugal, já que fomos, não só, um dos primei

Numa cidade indeterminada num dos estados do Sul profundo dos Estados Unidos da América, num livro e numa acção decorrentes durante os anos trinta do século passado, cinco personagens lutam, em O Coração é um Caçador Solitário, de Carson McCullers,

Num mundo de pobres, trabalhadores agrários e operários, o acto de vender do próprio sangue pode ser a diferença entre passar fome ou viver desafogadamente. Quando o dinheiro adquirido através do suor de cada dia não chega para os mais básicos gastos, resta vender um pouco da própria vida pa

Quando uma bomba detona algures no mundo só ouvimos falar dela caso cause um elevado número de vítimas ou rebente num local no globo pouco habituado a conviver com isso, caso das detonações na Europa, em locais que nos são próximos geográfica e culturalmente. Nem mesmo num mundo onde a infor

Luís Severo está de regresso e coloca-se no centro dos holofotes da nova música portuguesa com o brilhante sucessor de Cara d’Anjo, disco de 2015. O álbum homónimo Luís Severo, lançado agora através da Cuca Monga – a editora formada pelos Capitão Faust

Desde há umas semanas que a França tem sido marcada pela agressão e violação do jovem Theo, no dia 2 de Fevereiro, às mãos de agentes da polícia francesa. O caso aconteceu em Aulnay-sous-Bois, subúrbio de Paris, quando Theo foi interpelado pela polícia para controlo de identidade, numa sup

Breve História de Sete Assassinatos, de Marlon James, não é nem breve nem possui apenas sete assassinatos. Neste livro de quase 700 páginas recém-editado pela Relógio d’Água, há chacinas frequentes, há histórias de gangues, de m

“Crónicas de uma Vida Parisiense – uma rubrica sobre a vida na capital francesa, pelos olhos de quem por lá está.” As nossas vidas diferentes fazem-nos ter experiências bem distintas diante da mesma coisa. É frequente existir, nos comboi

“Crónicas de uma Vida Parisiense – uma rubrica sobre a vida na capital francesa, pelos olhos de quem por lá está.” É estranho chegar à cidade onde se vive ao regressar de uma ida a casa. Porque, no fundo, aquilo que estivemos a fazer ao re