‘Aurélia de Sousa, Mulher Artista’, vida e obra de uma artista na vanguarda da sua época

30 NOVEMBRO, 2016 -

Aurélia de Sousa teve o seu “quarto só para si“, expressão que a escritora britânica Virginia Woolf cunhou nos anos 1920 para designar o espaço — físico e metafórico — de que as mulheres precisavam para criar. “Aurélia de Sousa, Mulher Artista” é um livro centrado na vida e obra da pintora e fotógrafa portuense que viveu a passagem do século XIX para o século XX e assinala o 150.º aniversário do seu nascimento.

Conservadora nos motivos, genial e inovadora no traço e na composição, Aurélia de Sousa deu continuidade ao naturalismo que imperava na pintura portuguesa do seu tempo, acrescentando-lhe apontamentos impressionistas, realistas e até mesmo neo-realistas.”, disse Rui Moreira sobre a artista.

Aurélia de Sousa (1866-1922) nasceu em Valparaíso, no Chile, onde o pai fez fortuna na construção dos caminhos-de-ferro. A família voltou par ao Porto, em 1869, adquirindo, às portas da cidade e sobre o rio Douro, a Quinta da China, principal morada da pintora até ao fim da sua vida. Estudou desenho e pintura em casa, e depois ingressou na Academia de Belas Artes do Porto. Em 1899 partiu para Paris, onde estudou na famosa Academia Julian, conhecida também por aceitar mulheres entre os seus alunos. Regressou ao Porto, em 1901, e continuou a pintar, a fotografar e a mostrar a sua obra nas exposições temporárias no Porto e em Lisboa.

Aurélia de Sousa, Mulher Artista é uma coordenação de Filipa Lowndes Vicente, historiadora e investigadora no ICS-UL. A coordenadora doutorou-se na Universidade de Londres, com uma tese que deu origem ao livro Viagens e Exposições: D. Pedro V na Europa do Século XIX, publicado em 2003. É também autora de vários artigos e livros, entre os quais Entre Dois Impérios: Viajantes Britânicos em Goa (1800-1940), editado pela Tinta-da-China.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS