‘Annie Hall’ e ‘Manhattan’ foram uma decepção para Woody Allen

5 MAIO, 2016 -

Em entrevista ao THR, Woody Allen decidiu falar sobre vários temas, mas um deles foi no mínimo curioso: a sua carreira. Woody foi questionado se apagaria algum dos seus filmes caso tivesse essa oportunidade, a que o realizador respondeu:

“Dos meus? Bem, apagaria quase todos [risos]. Guardaria apenas uns seis ou oito. A The Purple Rose of Cairo com certeza, Match Point, Husbands and Wives, provavelmente Zelig, provavelmente Midnight in Paris…”

“E Annie Hall? Manhattan?”, perguntou o jornalista.

“Fiz esses filmes há tanto tempo que já não lembro tão bem. Não gosto tanto deles como o público. Quando vi Manhattan assim que o finalizei, fiquei bastante decepcionado. Falei com Arthur Krim [chefe da United Artists]: ‘Se não o lançares, faço outro para ti de graça’. Ele respondeu: ‘estás louco, gostamos do filme e fizemos um investimento. Pedimos dinheiro emprestado para o fazer. Não podemos gastar milhões e não exibir. Seria insano.’ Então Manhattan estreou e fez muito sucesso. É uma questão de sorte, recebemos créditos por coisas que não controlamos.”

Woody revelou que não revê as suas produções e que hoje em dia há poucas coisas no cinema que lhe interessam verdadeiramente, o último filme que viu e gostou foi o drama Hrútar, do realizador islandês Grímur Hákonarson. Por fim, o cineasta disse também que os filmes de super-heróis lhe passam ao lado e que continua a não usar computador e que nunca usou email.

Café Society, 12º filme do realizador em Cannes, e o 47º da sua carreira, será exibido na sessão de abertura do festival, dia 11. A comédia dramática conta no elenco com: Jesse Eisenberg, Kristen Stewart, Steve Carell e Blake Lively. O filme ainda não tem data de estreia em Portugal, no entanto tem estreia comercial marcada para dia 29 de Julho nos EUA.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Annie Hall é um filme norte-americano realizado por Woody Allen

É injusto que se peça a um realizador que aos 80 anos se reinvente totalmente (ou mesmo só em pa