A ciência da capa de ‘Unknown Pleasures’

23 NOVEMBRO, 2016 -

Unknown Pleasures é um dos discos conceptuais mais aclamados da música contemporânea e a sua capa é uma das mais enigmáticas. A discografia dos Joy Division conta apenas com 2 álbuns de estúdio: Unknown Pleasures, de 1979, e Closer, de 1980.

cambridge_encyclopedia

A origem da capa do primeiro álbum, Unknown Pleasures, permaneceu desconhecida durante muito tempo. No entanto sabia-se que tinha sido concebida por Peter Saville e Chris Mathan, mas foi Bernard Sumner quem deu a ideia de colocar a ilustração inspirada numa imagem encontrada na Enciclopédia de Astronomia de Cambridge, de 1977, numa edição de  Simon Mitton.

A capa foi também tema de um documentário científico intitulado Data Visualization Reinterpreted: The Story of Joy Division’s Unknown Pleasures.

O gráfico da capa é uma espectroscopia electrónica e mostra ondas geradas por um Pulsar. Os Pulsares são relíquias peculiares de estrelas massivas que terminaram as suas vidas ao explodirem. O nome dado a esses corpos celestes, que surgem após as explosões, é de Supernova. Em Julho de 1967 foi descoberto o primeiro pulsar, na Irlanda do Norte, por Dame Jocelyn Bell-Burnell durante o seu doutoramento.

A primeira ilustração deste fenómeno foi feita por um computador no Arecibo Radio Observatory, em Porto Rico, e publicada pela primeira vez nos Estados Unidos, sem copyright no ano de 1971. 8 anos depois o mítico álbum Unknown Pleasures era lançado pelos Joy Division, a 15 de Junho de 1979.

Podes ver aqui mais detalhes da capa do álbum Unknown Pleasures.

scientific-american-january-1971-page-53

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS